separados

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Sem nada dizer ela se foi. A casa ficou maior, tudo era só dele.
Não haveria mais necessidade de discussões. Nada de ter de arranjar desculpas para os atrasos ao sair do trabalho. Sua liberdade não mais seria vigiada.
Aquela cervejinha com os amigos após o dia de trabalho, o futebol aos domingos, a TV seria só sua. Tudo isso sem protestos da parte dela.
A comida?
Bem havia tantos lugares para comer que tanto faria ter comida em casa ou não. Aliás, era bem chato ter que ajudar na louça do jantar.
Sexo?
Ora, com tantas mulheres carentes à disposição, tudo seria muito mais simples.
Sua primeira semana de liberdade foi maravilhosa. Fez tudo o que lhe vinha à cabeça; dançou, bebeu, saiu com todo tipo de mulher, espalhou roupa suja pela casa toda, deixou o banheiro molhado depois do banho, cuecas no vaso sanitário, largou sapatos sujos no tapete da sala, etc...
Passada a primeira semana, tudo ficou complicado. Ninguém guardou os sapatos e as coisas espalhados pela casa. Ninguém lavou a pilha monstruosa de louças sobre a pia. O papagaio morreu de sede, ou seria de fome?
- Cadê a pomada pra gonorréia? Malditas putas!
Os amigos de copo viraram uns bêbados chatos e monótonos. Como é que alguém poderia gostar de ficar em bares?
Na terceira semana só havia espaço para lamentações. Como era chato levantar e não ter com quem conversar...
Por falar em acordar, "perdera" a hora de ir para o trabalho pelo menos quatro vezes na semana passada.
É, quem diria que ela faria falta algum dia?
Passou, por coincidência ou não, pelos lugares que costumavam frequentar durante o namoro.
Doeu muito o peso das lembranças, o sorriso dela estava em todo lugar. O brilho daqueles olhos negros o perseguia para onde quer que olhasse.
Os casais passavam ao seu lado abraçados como que zombando de sua tristeza. Via os cabelos negros dela esvoaçando em todas as cabeças que andavam pelas ruas. Sentiu falta de ouvir sua voz, mesmo que fosse para xingá-lo dos piores nomes possíveis.
Desistiu de buscar prazer em outros corpos, só ela sabia como e onde tocá-lo, fazendo com que alcançasse os maiores orgasmos possíveis.
Ah! Se seus olhos estivessem fechados, poderia sentir o cheirinho delicioso da comida feita com todo carinho, mesmo quando chegava fora de hora.
A quarta semana seria decisiva. Ou ela voltava ou ele morreria. Não fazia sentido viver uma vida que não fosse ao lado dela.
Pediu a uma amiga em comum que marcasse o local e a hora do encontro onde diria tudo o que lhe sufocava o peito. Diria o quanto a amava e do vazio que o engolia a cada momento longe de seus braços. Ela definitivamente saberia como ocupar seus espaços vazios.
Falaria de sua estupidez, da falta que ela fazia em sua vida.
Faria dela a mais feliz das mulheres, a cobriria com todo seu amor pra sempre. Nada mais se interporia entre eles. Nada de bar, amigos, mulheres ou bebidas. A TV seria somente dela, inclusive nos finais de semana, mesmo em final de campeonato.
De agora em diante ela daria as cartas do relacionamento.
Colocou sua melhor roupa, comprou as mais belas flores que encontrou no caminho e lá foi ele em direção da felicidade que deixara de ver na rotina da vida a dois. Felicidade que trocara por coisas sem a menor importância, agora podia ver.
Fez questão de recriar o clima do dia em que se conheceram, o mesmo barzinho, a mesma mesa, tudo mais ou menos igual. Enquanto ela não chegava, teve a certeza de que ela foi a melhor coisa que ele fez por ele mesmo.
Ela não veio. A noite terminou e com ela sua esperança de voltar a ser feliz. O dia veio ensolarado e iluminou um rosto onde lágrimas corriam livremente.
No tempo em que estiveram separados ela arranjou um novo amor e estava vivendo feliz ao lado dele.
Isso pelo menos foi bom saber, pois quem ama de verdade quer acima de tudo ver feliz a pessoa amada, mesmo que seja em outros braços.

1 comentários:

Arthur Silva 3 de maio de 2008 18:44  

Cara, esse ficou demais...

Devemos, realmente valorizar mais tudo aquilo de importante que nos cerca. Ou podemos nos arrepender profundamente!

Postar um comentário

Deixe seu cometário, ele é importante pra mim.
Assim que possível responderei
Obrigado por sua visita!

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO